Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Primeiros dias, primeiras impressões


O Governo Temer e a sociedade sabem que os problemas que o país enfrentam são imensos. No terceiro dia de fato, algumas atitudes demonstram que o caminho a ser seguido é o certo.No âmbito da Saúde as declarações e postura do Ministro Ricardo Barros
são muito coerentes com a realidade do país. Com cortes orçamentários sucessivos na pasta, é preciso gastar bem o pouco dinheiro disponível. A reunião que ele teve em São Paulo com médicos para conhecer a opinião deles sobre o SUS foi muito proveitosa. Ele ouviu conselhos e pareceres sobre abordagens e tratamentos que são caros e nem sempre eficazes e ele parece realmente interessado em entender e enfrentar as causas da diminuição constante de leitos e serviços de diagnóstico oferecidos pelo SUS. Não basta apenas ter o médico, é preciso ter medicamentos, exames e leitos. A declaração dele sobre a Saúde Suplementar, que engloba seguros e convênios médicos é acertada: quanto maior for a cobertura de atendimento, em muitos casos determinada pelas agências e processos judiciais, maior será o preço dos serviços e menor será o acesso de pacientes. É preciso lembrar que o Ministério da Saúde só tem dinheiro disponível até Agosto para programas como a Farmácia Popular.

A resposta de José Serra, Ministro das Relações Exteriores aos países que estão propagando a ideia do golpe foi firme e casou um silêncio “na linha”. Os estudos que ele e sua equipe desenvolverão para verificar a necessidade ou não de embaixadas em países da África e do Caribe é acertado. Decisões devem ser tomadas após estudos e não no calor do momento ou por interesses diversos, como por exemplo das empreiteiras que fecharam negócios por lá. O Itamaraty está sem verbas desde o último ano. Em muitas representações além do aluguel dos prédios em atraso, falta o básico e há meses, diplomatas e pessoal administrativo não recebem dinheiro do auxílio-moradia.

A decisão do Ministro das Cidades, Bruno Araújo, em suspender a nova etapa do programa “Minha casa, minha vida”, que operaria em parceria com entidades, aprovada no apagar das luzes do governo Dilma, é acertada. Há um número expressivo de unidades residenciais do programa que estão sendo tomadas pela Caixa por falta de pagamento. Estas unidades, por lei, devem ser destinada aos inscritos no programa. Como algumas prestações são acessíveis, é possível fazer um remanejamento e se for para construir novas unidades, que seja de acordo com uma base real no número de usuários. Obviamente, MTST foi o primeiro a colocar a boca no trombone.

A formação da equipe econômica é ótima. A chegada de Mansueto Almeida como Secretário de Acompanhamento Econômico será extremamente positiva, já que ele éum estudioso das contas públicas. Ele já declarou que a queda na arrecadação de tributos não explica por si só a falta de dinheiro no Tesouro. Em suas análises, ele diz que os impostos no Brasil estão fora do padrão da América Latina e se aproximam, em percentuais, do que é cobrado por países de primeiro mundo. Na opinião dele, a falta de dinheiro é ocasionada pelas despesas do Governo, que continuam crescendo. Dentro deste olhar, a reforma na Previdência tem que ser discutida com a sociedade com muita objetividade e clareza. Algumas mudanças, como o sistema de pontos 95/85 são boas, mas é injusto que quem contribuiu a vida inteira sobre um pouco mais que o mínimo ganhe o mesmo valor do BPC, que é dado aos idosos e aos deficientes físicos, independente de contribuição. Além disso, um BPC da Assistência Social pode ser concedido a um segundo idoso que more na mesma casa. Para a esposa de um trabalhador receber uma aposentaria neste valor, ela deverá , contribuir sobre 5% de um salário mínimo. Dentro deste raciocínio, se for ter direito ao BPC aos 65 anos sem nunca ter contribuído, para que contribuir sobre o mínimo?

A Previdência tem diversas fontes de financiamento e é preciso entender como hoje ela ocupa 50% das despesas do Orçamento, se a União contribui apenas para complementar insuficiências. É preciso lembrar que além das contribuições que as empresas e trabalhadores pagam, há contribuição sobre construção de imóveis, importação, renda com transmissão e jogos de futebol, loterias e outras. O que intriga é que a previdência vem registrando déficits crescentes, quando o país passou por quase 8 anos de expansão imobiliária e de nível de desemprego de quase 5%, além de ter batido recordes de importação. O problema existe e muitas explicações devem ser dadas, antes de se tomar alguma atitude. Outra coisa: A CUT, enquanto entidade sindical não pode se recusar a participar do debate sobre a Refoma da Previdência por fidelidade ao Governo Dilma. Quem a paga para ser representado?

Aos poucos vamos vendo que Temer não é um presidente decorativo e que faz questão de seguir a risca a Constituição. Com a composição de parlamentares para seu Ministério, ele conseguiu costurar uma boa base política no Congresso, para aprovar as medidas que forem necessárias. O que está faltando é a equipe ministerial e o próprio Temer mostrar a real situação do Brasil para a população.Ele particularmente não aprova a majoração ou criação de novos impostos, mas Agosto está chegando, prazo final do dinheiro disponível para as despesas do ano. As coisas vão piorar antes de melhorar, o próprio Henrique Meirelles já afirmou isto, inclusive declarando que o índice de desempregados no país pode chegar até 14% até o final do ano. Mas há luz no final do túnel para 2017.

Além disso, com o endividamento de algumas empresas e a baixa lucratividade de outras, o Brasil hoje é um país barato para os investidores internacionais. É possível que tenhamos um grande aporte de capital estrangeiro interessado nestas “liquidações”. Na minha opinião, isto ocorreria após o encerramento do processo do Impeachment no Senado. Ninguém se arriscará a investir no Brasil com Dilma no comando e enquanto esta possibilidade não for definitivamente descartada, eles não virão.

Outra coisa que chama a atenção, é que o presidente e a equipe estão muito antenados com os anseios da sociedade. Uma mulher foi nomeada para presidir o BNDES e eles querem outra à frente da Secretaria da Cultura. E outro fato positivo são as exonerações dos "companheiros" dos cargos estratégicos.Prepare-se para algumas turbulências, algumas declarações que um ou outro Ministro pode dar e que pode te chocar. Algumas serão resultado da falta de entrosamento de uma equipe que foi formada às pressas. Outras podem ser de cunho pessoal. Temos que vigiar sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: