Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

terça-feira, 5 de abril de 2016

Preocupe-se com as ausências



Enquanto os “Muros da Vergonha” com os nomes dos deputados indecisos e contrários ao Impeachment se multiplicam no Brasil, o Governo Dilma deslancha novas estratégias. Sabendo que não tem os votos necessários (172 votos) para barrar o pedido de Impeachment na Câmara dos Deputados, o Palácio do Planalto vai desenvolvendo seus planos nada republicanos de ação. Lula faz a articulação política com os deputados de outros partidos, no corpo a corpo, inclusive abordando parlamentares do PMDB individualmente, mesmo após o anúncio do desembarque feito na semana passada.

A distribuição de cargos e ministérios está sendo feita no varejo. A barganha do Ministério da Saúde é emblemática. Em tempos de Dengue, Febre Chikungunya, Zika e surto de gripe H1N1, o PP - Partido Progressista, aquele mesmo cuja metade da bancada está sendo denunciada no Petrolão, bate o pé pela pasta. Desnecessário dizer que o interesse maior é pelas verbas e não por aquilo que pode ser feito pela saúde do brasileiro.

Aliada a mais esta imoralidade, os esforços são dirigidos no sentido de se trabalhar pelas ausências dos deputados na votação do processo. Os que aceitarem se ausentar da votação receberão R$ 400.000,00. Os que votarem contra o processo, receberão R$ 1.000.000,00. Obviamente, o dinheiro do soldo é nosso, vindo do Tesouro ou do Panamá.

O comentarista político Gerson Camarotti, em sua participação no programa “Em Pauta”, da Globonews, lembrou que os deputados atuam como juízes nesta ação. Sendo assim, a compra dos juízes acaba por ratificar o pedido de Impeachment. Interessante é que a Turma do Planalto não entende que, se não for pelo Impeachment, fatalmente será pelo TSE.

Com certeza os parlamentares que assistem o Brasil descer a ladeira e continuam a apoiar este Governo são indignos do mandato que exercem. As iniciativas dos “Muros da Vergonha” são mais do que válidas, porque os expõe ao julgamento da opinião pública e da História. O que ninguém poderia imaginar é a falta de pudor e limites éticos que imperam no Palácio do Planalto. Este tipo de iniciativa é criminosa, uma vez que pagamento de propina a agente público ainda é crime neste país.


Caros amigos, termino meu post deixando aqui um conselho: escrevam ou liguem para o deputado no qual você votou. Deixe claro que neste momento, o Brasil conta com a dedicação e participação dele neste processo. Relembre ao ilustre congressista que a última passeata pelo Impeachment reuniu a maior multidão já vista neste país, sem pagamento de lanche e ajuda de custo. Deixe claro que você conta com ele neste momento em que 10 milhões de pessoas estão desempregadas, mas deixe claro também que se ele se ausentar, ele será denunciado por corrupção junto à Procuradoria Geral da República e à Receita Federal. Qualquer ganho com a transação acabará sendo gasto com advogados. Será que eles aprendem?

2 comentários:

  1. Ola Cilene Assad de Souza, tudo bem? Muito bom o seu artigo que leva os deputados, responsaveis pela abertura, discussao, apreciacao e julgamento do Impeachment, fazendo com que eles tenham um pouco mais de cuidado na hora de jogar suas reputacoes no lixo porque, claro que sera um suicidio eleitoral mesmo. E bom porque para eles estar bem com o eleitor e questao de vida ou morte. Tomara que eles nao sejam tocados pelo "conto das sereias" em forma de propinas de novo como no Mensalao e Petrolao.

    ResponderExcluir
  2. Desculpe Cilane, se nao estou enganada digitei seu nome errado.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário: