Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Onde as mudanças devem começar

O Procurador-Geral da República Rodrigo Janot faria um grande serviço ao país se liberasse a lista dos parlamentares e “agentes políticos” envolvidos e beneficiados pelo Petrolão nesta sexta-feira. Isto evitaria dúvidas nas eleições para a Presidência do Senado e da Câmara que ocorrerão no domingo, mataria no ninho algumas alianças e reaproximações que já estão sendo feitas e também daria um recado claríssimo aos deputados e senadores eleitos que cogitam em eventualmente usar seu mandato para auferir vantagens pecuniárias ou abrir caminhos para que outras pessoas o façam . Ao que parece, o nome de Renan Calheiros está na lista negra que já não é apenas uma peça de acusação e sim fruto de uma grande investigação.

A conduta de Renan na Presidência do Senado foi decisiva para a aprovação da alteração da LDO em uma votação ardilosa, que se arrastou por horas, com as portas do Congresso Nacional fechadas ao público, graças também a colaboração ridícula, inescrupulosa e indigna de uma representante do Congresso, no caso a deputada Jandira Feghali. Para quem viu as galerias cheias de pessoas que acompanharam votações emblemáticas como a da Emenda Dante de Oliveira em plena ditadura, a atuação dos dois, que culminou com agressões aos participantes, entre eles uma idosa, mostra a distância exata que muitos congressistas querem do povo.

Com a divulgação ou não da lista, no domingo serão empossados os novos parlamentares. No Senado, 27 senadores tomarão posse na renovação de 1/3 do total (as eleições do Senado alternam a renovação de 1/3 e quatro anos depois 2/3 do total de senadores) .  A maioria é do PMDB, seguidos por PSDB e PTB. A bancada do PSDB reunirá os nomes mais emblemáticos do partido. Estarão juntos: Aécio Neves, Aloysio Nunes, Antonio Anastasia, José Serra e Tarso Jereissati, Álvaro Dias, Flexa Ribeiro, Cássio Cunha Lima, Lucia Vana , Paulo Bauer além de Ataídes de Oliveira e o partido promete oposição forte. Há que se destacar também a presença de Ronaldo Caiado do DEM na Oposição. Na Câmara dos Deputados, a maioria das cadeiras pertence ao PT, seguido pelo PMDB, mas a boa notícia é que 38,6% dos deputados exercerão seu primeiro mandato. O que se espera destes parlamentares é vigilância, defesa dos interesses do povo e do patrimônio brasileiro, denúncia dos desmandos e desvios que envolvam o Congresso e seus membros,  principalmente quanto ao recebimento de vantagens indevidas e que votem no que é melhor para aqueles que eles representam e os levaram até lá e não pela vantagem que podem conseguir, provenientes de esquemas escusos ou chantagens que condenam à miséria os menos favorecidos. Se o Governo enxerga em cada parlamentar uma etiqueta com um  preço, cabe sobretudo a eles removerem esta tarja.
Em jogo está o modelo de representação política e a própria sobrevivência do Congresso. Uma dos primeiros desafios que eles enfrentarão será a votação das Medidas Provisórias 664 e 665 que alteraram os benefícios previdenciários e aumentaram a impostos. Esta será a prova de fogo que exigirá vigilância estreita da sociedade pois será através destas votações que conheceremos exatamente nossos representantes e saberemos com certeza o que os motiva. Com ou sem lista, agora é hora de acompanhar, denunciar e cobrar  coerência daqueles que se elegeram erguendo a bandeira da defesa dos interesses do povo. A fase do discurso já passou, agora é a hora de começar a trabalhar pelo Brasil e pelos brasileiros a quem eles realmente devem respeito e tem o dever de prestar contas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: