Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

sábado, 13 de dezembro de 2014

Um pouco de graciosidade

Sou uma pessoa que gosta muito do Natal, acho que é uma época que nos deixa mais generosos, mais felizes. Há várias explicações para esta mudança de comportamento, para alguns pode ser a manifestação da esperança que a data traduz; para outros as festas com a família e para outros o recebimento do décimo-terceiro salário. De qualquer forma, nesta época do ano gosto de assistir os filminhos e até mesmos os desenhos feitos especialmente para a data, de ver a decoração das ruas, tudo verde e vermelho, coberto de neve, como manda a boa e velha tradição européia.

Mas este ano há um clima pesado no ar. Talvez de expectativa por um ano que sabemos que será difícil economicamente e que já sentimos os efeitos no bolso quando vamos aos supermercados e vemos os preços absurdos de alguns itens e imaginamos um ano inteiro assim. Talvez resultado de um ano inteiro de escândalos e baixarias econômicas, éticas e políticas que acabaram dentro de nossa sala, transmitidas em tempo real. Mas a verdade é que estamos levando isto para dentro de nós. O Facebook que já foi um lugar onde todo mundo gostava de exibir o seu melhor, está sendo palco de diversas postagens e declarações do pior que cada um tem dentro de si. Acho que é tempo de reflexão, de fazer uma análise se não estamos, através de postagens e comentários, nos igualando ou sendo piores do que aqueles que criticamos.

Quando comecei este blog, fiz uma postagem sobre a falta de graciosidade em nossas atitudes e em nossas relações. Achei muito interessante os sinônimos de graciosidade: elegânia, garbo, gratuídade, atenção, afabilidade, gentileza. Fiz algumas alterações no texto e estou postando o artigo para vocês. Espero que vocês gostem.

“A terça-feira é o meu dia favorito da semana, desde criança. Costuma ser um dia agitado, mas sem aquela loucura toda da segunda-feira. No meu caso, ariana e ansiosa, a segunda costuma ser pior porque quero fazer tudo de uma só vez. Voltamos ao trabalho hoje, depois de cinco dias de descanso e de muita flanação de minha parte. Pouco a pouco a rotina vai se impondo trazendo as pequenas e grandes chateações e aquelas coisas sem importância nenhuma que tempos depois a gente se pega ainda pensando sobre elas.

Fui muito fã do U2 durante boa parte da minha vida, mais exatamente até o lançamento do álbum  "All you can't live behind", depois disso cada um seguiu seu caminho. Ontem tive vontade de escutar este CD. Gosto de quase todas as faixas, especialmente "Kite" e "In a little while", que o Joey Ramone escutou repetidas vezes de morrer. Mas o que me chamou atenção mesmo foi "Grace".Achei muito interessante, porque ele dá vários significados para palavra “Graça” e no fim ele termina dizendo que "Grace finds beautiful in everything" ( Graça encontra beleza em tudo).Trazendo para a minha realidade, acho que falta graça (ou graciosidade) em nossas atitudes e em nossas vidas, o que torna ainda mais árdua nossa missão de tentar manter a sanidade, lidando com a loucura própria e a alheia, em um mundo cada vez mais atribulado. Falta gentileza no falar, no olhar, nos relacionamentos. Um gesto gratuito de carinho, uma informação a mais, um sorriso.Acho que estamos muito acostumados a aguardar a tacada e nos colocamos sempre em posição para rebater, de preferência, bem forte e para fora do campo, matando o jogo. Mas acho que a gente não perde um minuto tentando ser a melhor pessoa, cultivando relacionamentos, deixando passar algo que para o outro é muito importante mas que dentro e fora do contexto, não significa nada.


Para terminar, gostaria de contar uma história que aconteceu comigo durante uma viagem. Um vendedor ambulante estava tentando vender algumas pedras para serem usadas em bijuterias ou em decoração. Embora eu tenha gostado, achei que elas acabariam me dando ainda mais trabalho e além disso o dinheiro já estava curto. Eu disse a ele que sentia muito, mas que no momento não poderia comprar. E ele, com uma gentileza de tocar o coração, agradeceu e me disse que tudo bem, que pelo menos eu ainda tinha minha gentileza."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: