Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Não culpe o mensageiro


Todo mundo sabe que uma campanha abrangente como a presidencial  pode apresentar certas irregularidades que podem ser intencionais ou não. O TSE recomendou que as contas da campanha de Dilma fossem rejeitadas por apresentar fortes indícios de ter recebido doações acima do permitido em lei e discrepâncias em 4% das entradas e 14% das saídas. Nas eleições de 2010, o Ministro Marco Aurélio também tinha encontrado algumas inconsistências, mas mesmo assim Dilma foi diplomada. O parecer do TSE foi encaminhado pelo Ministro do STF Gilberto Mendes para que seja dado  parecer do Procurador-Geral Eleitoral Rodrigo Janot. Na semana passada  José Eduardo Cardozo disse confiar na aprovação das contas da campanha, esquecendo por completo que ele não é mais membro da equipe jurídica do PT, mas Ministro da Justiça. Hoje, o Senador Humberto Costa acusou os funcionários do TSE, o Ministro Gilmar Mendes que foi indicado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Aécio Neves e o PSDB de estarem tramando esquemas para que Dilma não seja diplomada dia 18/12. Aécio foi acusado de insuflar “passeatas fracassadas” e Gilmar Mendes de decidir segundo seus critérios políticos. Pediu o mesmo rigor na análise de contas de Aécio e de Marina, que segundo ele até hoje não conseguiu explicar a quem pertence o avião usado em campanha.

Para começar pairam sobre Humberto Costa declarações dadas na Justiça Federal que apontam que ele recebeu R$ 1 milhão do esquema da Petrobrás para sua campanha. Deveria poupar ao Brasil e a si mesmo de um dos discursos mais infelizes já proferidos no Senado. O Ministro Dias Toffolli , indicado pelo PT deveria ter declarado seu impedimento no julgamento do Mensalão, por suas convicções políticas e por ter sido advogado de José Dirceu no início do mesmo processo. Depois disso, como Presidente do TSE foi o responsável pela condução do processo eleitoral e da apuração que tantas dúvidas geraram na campanha presidencial. Nem por isso, ninguém subiu à tribuna para acusá-lo de “tramas esquemas”. Se não há dúvidas quanto à retidão profissional de Dias Toffolli, não deverá pairar nenhuma com relação a Gilmar Mendes.Qualquer outro partido que estivesse na mesma situação do PT, estaria preocupado em dar as explicações cabíveis. Se houve erro, o erro é do partido, da coordenação da campanha. Aqui, ele repete o mesmo roteiro de Dilma quando “tomou conhecimento” dos desvios na Petrobrás. Acusou a oposição de golpe e a imprensa noticiou esta asneira em letras garrafais. Se houve algum golpe foi o praticado pela a entourage que saqueou a Petrobrás. Mas este é a maneira de agir do PT. Acusam todos de tudo quando os culpados são eles.

O problema aqui são os fatos. Fato : O objetivo dos pagamentos de propinas a políticos e partidos tinha por objetivo financiar as campanhas eleitorais. Fato:  O PT, segundo os depoimentos dados por Paulo Roberto Costa está sendo acusado em ser o partido que recebia a maior parte destas “doações compulsórias”. Fato: A campanha de Dilma foi a que mais arrecadou e a que mais gastou e algumas coisas têm que ser explicadas como  por exemplo, que  a maioria de suas viagens foram feitas no jato presidencial, sem custo direto para o Partido. Fato: Vaccari, o atual tesoureiro do PT é acusado por vários depoentes como operador do PT no esquema da Petrobrás. Fato: As explicações devem ser dadas pelo partido de forma a sanar toda e qualquer dúvida, para que de fato, esta eleição tenha ares de legitimidade.


Sem folclore, sem por o país abaixo, sem apelar para discursos rasos e inconseqüentes . As explicações devidas são todas do PT, o processo está seguindo seu caminho normal e ninguém está querendo dar o golpe em ninguém. O que não se pode pedir é para que agora, a palavra do PT seja suficiente .

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: