Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

domingo, 2 de novembro de 2014

Um bilhão de explicações

Novo governo, velhos problemas. A novidade da semana é a Petrobrás, para variar. A base governista, que detém a maioria das cadeiras no Congresso convocou o Ministro Edson Lobão para explicar o pagamento de U$$ 436 milhões,  quase R$ 1 bilhão de reais à Bolívia. Não pensem que esta convocação é o cumprimento da obrigação constitucional do Congresso de fiscalizar o Executivo e as empresas públicas. É certamente mais uma manobra para mandar um recado ao Governo,  para exercer o direito de cobrança obtido através das alianças e dos minutos no horário eleitoral. Quanto vale um minuto? No mínimo, um Paulo Roberto Costa.

Mas vamos a mais um negócio estranho da Petrobrás. A Bolívia vende ao Brasil gás natural. Os U$$ 436 milhões foram pagos à Bolívia em Setembro por componentes nobres acrescidos ao gás em contrato firmado entre 2008 e 2013. O detalhe é que este não foi o gás que o Brasil comprou e não temos necessidade e capacidade para processar estes componentes. Ou seja, a Petrobrás pagou de muita boa vontade por algo que não pediu e não tem capacidade técnica para processar. Qual de nós aceitaria comprar algo e aceitar uma cobrança imensa por algo que não foi pedido e não tem como ser utilizado? Ninguém. Agora vamos fazer mais uma comparação com o mundo dos que trabalham: Se você é encarregado de compras de uma empresa e um fornecedor passa a cobrar por algo que ele, de livre vontade, acrescentou ao produto que você comprou e que não tem utilidade para sua empresa porque ela não tem capacidade técnica de utilizar este acréscimo, você pagaria? O seu supervisor aceitaria? Se ele tivesse que pagar e isto causasse um prejuízo à empresa em um momento delicado para ela, você seria demitido. A pergunta é: Por que Graça Foster continua como Presidente da Petrobrás?


O que eu sei é que até em nosso Código Civil há condições para pagamento de benfeitorias feitas e o caso da Petrobrás seria no mínimo, de discutir o assunto, não de efetuar o pagamento imediatamente. Este contrato será investigado pelo TCU a pedido do Ministério Publico Federal. Se foi apenas uma questão de negócios, causou prejuízo ao Brasil e à Petrobrás, que deve ser integralmente ressarcida. Se foi evasão de divisas ou uma forma encontrada para remeter à Bolívia dinheiro que pertence à uma Empresa Pública, com acionistas, a investigação tem que ser muito detalhada,  pois é preciso saber o porquê e quem recebeu. De qualquer forma, há muitas explicações a serem dadas pela Petrobrás, para o brasileiro e para seus acionistas, em um momento em que a empresa passa por investigação nos EUA para apurar gestão temerária. Há muitas perguntas que precisam ser feitas e muitas explicações a serem dadas. Agora vamos ver as explicações que o Ministro Lobão dará ao Congresso. Este pode ser o primeiro “fogo amigo” do novo governo Dilma. Para quem tem 14 pedidos de Impeachment e algumas passeatas para se preocupar, aparentemente dependendo do que for descoberto esta pode ser uma fagulha que queimará o castelo de cartas do PT.

Um comentário:

  1. Este artigo foi publicado em meu blog no dia 02/11. Esta semana, o Ministério Público entrou com pedido de investigação. Também o assunto é objetivo de reportagem da Revista Época desta semana, que em um de seus entrevistados faz a seguinte comparação sobre a operação.:"É como comprar gado e depois fazer um aditivo sobre a extração teórica do fliet mignon." Perdão de dívidas, aditivos suspeitos e interferência estranha de uma figurinha carimbada do Petrolão: Nestor Cerveró.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário: