Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

E o vencedor é Aécio Neves


Gostamos de saber e reivindicar nossos direitos, alguns inclusive se consideram detentores de direitos maiores, mas na verdade somo iguais em direitos e obrigações. Ser cidadão no Brasil não é tarefa fácil porque não sabemos fazer valer nossos direitos e falhamos ao cumprir nossas obrigações. Falhamos ao escolher nossos governantes e mesmo sabendo que vamos cometer um erro colossal, votamos nas mesmas pessoas ou em vertentes. Tem uma máxima que gosto muito de lembrar: quando não se aprende uma lição na primeira vez, a vida a repetirá de novo e de novo até que você aprenda. Só que nestes doze anos de repetição muitas instituições e princípios que jamais deveriam ter sido maculados foram embora ralo abaixo.

Bem ou mal, as instituições estavam aí para proteger os cidadãos dos abusos. Confiava-se na Polícia Federal, no Ministério Público, no Supremo Tribunal Federal e no Senado. A Polícia Federal sofreu  um processo de mordaça e sucateamento ao longo desses anos. Para que ela abra uma investigação de maior peso, é preciso que ela comunique a ação e tenha autorização do Ministério da Justiça. A operação Lava-Jato só foi em frente porque começou com uma investigação sobre tráfico internacional de drogas.O Ministério Público quase perdeu seu poder de investigação,  alvo de um Projeto de Emenda Constitucional. Só não o perdeu graças as Manifestações de Junho/2013, antes dos blackblocs tomarem nosso direito de protestar. O Supremo Tribunal Federal não tem mais Joaquim Barbosa, que foi o Relator do Processo do Mensalão. Duvido que o processo do Petrolão, quando for a juízo terá relator mais dedicado. Alguns senadores sucumbiram aos financiamentos de campanha. Em duas ocasiões, em 2009 e 2014 poderia ter cumprido seu papel de defender os interesses dos
cidadãos que são os legítimos donos da Petrobrás, mas falharam. A CPI de 2014 foi um circo, com testemunhas e acusados fazendo discursos sem serem interrompidos pelos senadores. Paulo Roberto Costa, que recebeu U$ 1,5 milhão por seu silêncio na compra de Pasadena chegou a falar em seu depoimento que a Petrobrás fez conta de padeiro na Refinaria Abreu e Lima e agora sabe-se dos contratos milionários firmados e da propina de 3% paga a políticos. E muitos outros homens e mulheres que lutaram por um Brasil melhor já se foram.  Além disso, caberá ao futuro presidente nomear 05 juízes para o Supremo. Se for Dilma, nunca um governo nomeou tantos juízes como o PT. Você estará sozinho nesta, companheiro!

Nosso novo presidente receberá um país dividido, pouco atraente para investimentos internacionais e com poucos recursos para grandes projetos. Terá que ser alguém forte, com uma equipe que fale a mesma língua e que  tenha grande conhecimento de causa. Terá que lidar com boicotes e ataques internos, já que há 22.000 pessoas em cargos comissionados. Tem que ser alguém com experiência política para lidar com o jogo sujo do poder. Para isso, não basta cobiçar a equipe de seu adversário e copiar projetos na área de Direitos Humanos de Fernando Henrique Cardoso, que é o caso de Marina que há quatro anos é ”candidata” e não foi capaz de elaborar um plano de governo ou pelo menos ler o projeto do PSB. Tem que ser alguém que busque alianças externas benéficas ao Brasil e não nos coloque no papel de defensores de terroristas e criminosos de guerra. As riquezas do Brasil são dos brasileiros. O dinheiro do FGTS, que rende 3% ao ano ao trabalhador e é usado pelo BNDS não deve servir para financiar projetos em Cuba e na Venezuela, que ninguém sabe como e quando e se serão pagos.

Votarei em Aécio porque acredito em seu projeto e em sua equipe. Não vejo na campanha de Aécio nenhum viés autoritário que tire ou queira cercear direitos, que censure a liberdade de imprensa, que não tenha um olhar para as dificuldades e peculiaridades de cada região. Ele não está cercado por uma aliança frágil que expõe contradições. É o melhor candidato, do melhor partido, para o momento certo. Ontem durante o debate na Rede Record ele foi o vencedor absoluto. Com calma e frieza, conseguiu desempenhar o papel fundamental de um político : o de ser porta voz de seus eleitores e transmitir seus pensamentos, anseios e indignações. Momento de grandeza muito raro em nossa política, já que muitos escolhem esta carreira não pelo bem que podem proporcionar, mas pelas alianças e negociatas que possam ajudá-lo em seus projetos próprios ou de terceiros. Destaco aqui alguns dos melhores momentos de Aécio no debate de ontem:
- Quando perguntado por Dilma se privatizaria a Petrobrás, anunciou que não o fará, que pretende reestatizá-la, já que a empresa é vítima denegociatas há 12 anos. Cobrou de Dilma responsabilidade pela atual situação da Petrobrás, uma vez que ela membro do Conselho de Administração e também afirmou que falta à Dilma inclusive indignação por tudo o que aconteceu. Isto é defesa do patrimônio público.
- Colocou em números os benefícios que poderiam ter sido distribuídos à sociedade, mas foram parar nas contas de Paulo Roberto da Costa. Isto é trocar em miúdos o que a corrupção toma de cada cidadão.
- Falou à Dilma que seu discurso na ONU foi eleitoreiro e que ela manchou a história da diplomacia brasileira ao defender o diálogo com grupos terroristas que decapitam pessoas.Isto é coragem para mostrar que há um abismo entre o Governo e a opinião pública brasileira, entre o que é certo e errado.
- Quando Dilma argumentou que seu governo não tolera corrupção e que ela determinou que a Polícia Federal investigasse as denúncias de corrupção na Petrobrás ele foi taxativo em dizer que não há necessidade de autorização, uma vez que esta é função prevista na Constituição para a PF. Isto é defender a soberania das instituições e de nossa Constituição.

Conclusão da CPI do Ibope que aponta irregularidades nas
pesquisas do Ibope e aconselha investigações detalhadas.
Você pode me perguntar se eu não ajudaria mais o Brasil se votasse em Marina, dada sua posição nas pesquisas. E eu repondo que em uma CPI  do Ibope realizada no Paraná, foi constatado que de 17% dos contatos alegados pelo Ibope não aconteceram porque os números de telefone não existiam, em 03 pesquisas diferentes. Se você parar para pensar que Aécio aparece nas pesquisas do mesmo Ibope com apenas 2% a mais ... Quem já se esqueceu da campanha de Celso Russomano em São Paulo? Quem se esqueceu dos erros do Ibope e do Datafolha nas últimas eleições? Além disso, eleição não é programa de televisão para fazer alianças perigosas. Além disso, no debate de ontem, Marina foi pega na mentira, quando ficou claro que ela votou quatro vezes contra a criação da CPMF.

E para concluir, esta é a última oportunidade de posicionar o Brasil no cenário internacional como nação séria, de corrigir erros que levaram nossa economia rumo à recessão, que quebrou em negociatas fundos de pensão, que desviou R$ 10 bilhões em recursos da Petrobrás. Precisamos de alguém que transmita confiança, que tenha facilidade em atuar como estadista e não nos exponha ao rídiculo, ao defender o que é indefensável. A continuar assim, o que sobrará da estrutura do país daqui 04 anos? Pode ser que não sobre nada para você reinvidicar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: