Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

terça-feira, 5 de agosto de 2014

A Sombra e a Escuridão

Assisti novamente a este filme, que foi produzido em 1996 e teve como protagonistas Val Kilmer e Michel Douglas, que assina também a produção.  Para quem não assistiu ao filme, é o relato de um Tenente Coronel do Exercito Britânico, encarregado de construir uma ponte ferroviária em Tsavo, Quênia, no final do Século XIX. Ao chegar ao local, ele se depara com ataques de leões que se alimentam de humanos, arrastando-os para fora de suas tendas durante a noite. Ao todo, 35 homens foram vítimas fatais dos animais e o pânico tomou conta das obras, fazendo com que trabalhadores contratados deixassem o local, pois viam nos leões algo de sobrenatural, devido a  ardilosidade e freqüência dos ataques. Os leões foram chamados de Fantasma e Escuridão.

Primeiro leão abatido
                                               
                                                   Segundo leão abatido
Ao final do filme o narrador fala que os animais estão expostos no Museu Field de Chicago, então me interessei pela história. O relato do Tenente Coronel John H. Patterson é real e sua vida é igualmente interessante. A caça a humanos por parte de leões não é um comportamento comum e hoje acredita-se que estes ataques tiveram origem por falta de caça na região e pelo local ser uma rota do tráfico de escravos. Nestas condições, os escravos doentes ou que morriam na travessia eram abandonados ou enterrados no local e estes animais passaram a se alimentar destas presas e de cavar as sepulturas.

Os animais eram excepcionalmente grandes e foram mortos com 21    dias de diferença, a obra foi terminada e Patterson  recebeu uma          homenagem dos trabalhadores. Em 1907 ele publicou o livro “The man-eaters from Tsavo”, relatando esta experiência. A pele e o esqueleto dos leões foram vendidos a Museu Field por U$ 5.000,00 e os animais estão expostos até hoje. Eles são bem menores do que eram porque partes de suas peles foram tiradas para confecção de amuletos e souvenirs.

Mas a vida de Patterson é ainda mais surpreendente. Ele também descobriu uma nova espécie de antílope e é baseado em um incidente que ocorreu em uma caçada chefiada por ele que Ernest Hemingway escreveu o conto “The short happy life of Francis Macomber”. Na Primeira Guerra Mundial ele comandou dois batalhões formado por soldados judeus e foi um defensor da causa Sionista e da criação de Israel, tendo tido promoções preteridas devido ao anti-semitismo presente no Exercito Britânico. Para quem não assistiu ainda o filme, vale a pena ver, para quem assistiu é a oportunidade de ver com outros olhos. Recomendo também a leitura do conto, que é digno de melhor de Hemingway. E como estamos relembrando as grandes guerras e vivenciando o conflito de Israel e dos Palestinos, é uma chance de conhecer mais um dos personagens que lutaram muito para criação do Estado de Israel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: