Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

terça-feira, 1 de julho de 2014

Quem quer dinheiro?

Quem não se lembra do Sílvio Santos fazendo esta pergunta para seu auditório enquanto lançava pequenos aviões de dinheiro?  Embora milhões de brasileiros tenham saído da pobreza, ninguém no Brasil pode se dar ao luxo de desperdiçar dinheiro, principalmente o Governo, mesmo batendo recordes de arrecadação de impostos todos os meses.

Quando a gente vê os doze estádios da Copa, que foram construídos ou reformados com aditivos em cima
de aditivos, boa parte deles entregues em cima da hora e incompletos, sendo ainda que  metade foi desnecessária, se levarmos  em conta que tivemos  quatro jogos por dia na fase de grupos .Não estamos incluindo aí o preço mais alto, que foram as vidas perdidas dos operários que trabalharam nas obras. Quando você para e pensa nas obras que cada cidade recebeu, como reforma e ampliação de aeroportos, abertura de avenidas e obras para facilitar a mobilidade, você percebe que não há bom senso, não há um estudo de viabilidade econômica e que não há respeito algum pelo contribuinte, que chega a pagar cerca de 30% de impostos nos alimentos!O pior é que muitos deles não têm como gerar receita sequer para a própria manutenção!

Se o objetivo era fazer destas cidades uma vitrine do Brasil, há várias maneiras de fazer isto gastando menos. Se o objetivo era que todos os brasileiros participassem da Copa, sinto muito, mas nem sempre tudo é possível. Se o objetivo era desenvolver estas regiões, deveriam ter tido a humildade de estudar ações de governos passados e propor projetos que de fato tragam desenvolvimento sustentável e de longo prazo às populações e isso não se faz em uma tacada só, querendo acertar doze bolas de uma vez.

A Copa realmente trouxe muitos turistas e muita visibilidade,mas o legado maior, que são as obras de infra-estrutura, de mobilidade, de modernização, poderiam ser melhores e mais profundas se tivessem se concentrado em menos regiões e se atendesse as reais necessidades de outras áreas, como hospitais, saneamento básico, tratamento de água e esgoto, postos de saúde entre outras.


Falta bom senso, humildade, capacidade administrativa e pessoas capacitadas em nosso Governo. Isto fica evidente com a forma como o dinheiro público é gasto. O Senador Álvaro Dias tem feito várias declarações e encaminhou também pedido ao Supremo Tribunal Federal para que o Senado possa ter acesso aos dados dos empréstimos que o BNDS tem feito a países como Cuba e Venezuela. De outro lado vemos que a Previdência está deficitária, vemos esta manobra junto a Petrobrás para pagamento de 15 bilhões de dólares ao governo pela exploração excedente do pré-sal, em um momento que a empresa está fragilizada e que teve como conseqüência imediata a desvalorização em 8% das ações , e teve como objetivo a geração de caixa para o Governo. Se sobra dinheiro para “emprestar” a estes países, então vamos começar a falar em diminuir os tributos, porque afinal de contas, todo mundo também quer e precisa de dinheiro, principalmente aqueles que pagam o equivalente a cinco meses de  trabalho em impostos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: