Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

terça-feira, 15 de julho de 2014

Os presos e os ativistas políticos do Brasil

Quando me perguntam sobre os presos e ativistas políticos brasileiros ainda fico confusa. Como para mim a Turma da Papuda foi condenada por vários crimes comuns, esqueço que para alguns ( na maioria os próprios detentos) eles são considerados “presos políticos”. Quanto aos “ativistas”, tenho que me esforçar muito para relacionar os atos praticados sempre pelos mesmos elementos, como por exemplo quebrar bancos  e concessionárias de carros importados, como “ativismo”. Fico me perguntando o que a Mercedes-Benz , a Lamborghini ou a BMW fizeram  contra o Brasil para serem alvos freqüentes desta turma. Se os bancos estão cada vez mais ricos, a culpa é deste governo que ai está, que mantém com estes grupos um canal de diálogo, segundo as próprias declarações de Gilberto Carvalho durante a Copa.
Ativismo é lutar por uma causa, não é tirar do povo o direito de protestar, de ir às ruas, de denunciar, como eles fizeram covardemente por trás de suas máscaras. Ativismo não significa incendiar ônibus, depredar estações de metrô e trens,  uma vez que este não é o meio de transporte da “elite dominante”e nem dos corruptos.

Com relação às prisões que ocorreram em São Paulo e especialmente no Rio de Janeiro, houve uma extensa investigação e todas elas foram feitas durante o dia, fundamentadas em provas e na lei e com mandados expedidos por juízes competentes. Caí por terra o argumento da ilegalidade das prisões. Com os presos foi encontrado um revólver, munição e bombas caseiras, entre elas uma capaz de ferir por estilhaços. No caso da arma, o pai de uma das presas que diz pertencer ao grupo MEPR - Movimento Estudantil Popular Revolucionário (Revolução contra quem e para quem?) alegou ser o dono . Diante de tudo o que foi apreendido e das investigações em curso, de saber do que são capazes, que o diga a família do cinegrafista Santiago Ilídio de Andrade, eles não estavam planejando um protesto com cartazes no dia de encerramento da Copa, perto do Maracanã, né?


Acho muito questionável a posição da OAB nestes casos, bem como a nota que foi emitida por ocasião do confronto entre o advogado de José Genuíno e o Ministro Joaquim Barbosa no STF. Tem horas que o melhor é esperar para ver o quadro completo. Além disso, todos tem advogados, a família de todos sabem onde estão presos e inclusive já entraram com pedido de habeas-corpus. Importante lembrar também que vivemos em um país democrático, com divisão dos poderes e independência do Judiciário, ou seja, a lei é igual para todos, com os ônus e bônus. E com relação à a tão propalada “ação de intimidação” e diante da virulência da manifestação de ontem na Tijuca, qual é o direito que prevalece: o direito constitucional de ir e vir ou o deles, de intimidar e amedrontar a população?  

Um comentário:

  1. Recebi um e-mail dizendo que se continuar assim, daqui há alguns anos teremos uma Comissão da Verdade para indenizar os black blocs

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário: