Quem sou eu

Minha foto

Graduada em Processamento de Dados
Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Negócios

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Deja vu

Uma  sensação de que você já vivenciou a mesma situação anteriormente só que não consegue se lembrar quando e como. Assim podemos descrever o fenômeno do Déjà vu (termo em francês que significa “já visto”) que nos deixa intrigados toda vez que ocorre.  A primeira explicação científica sobre o que é o déjà vu surgiu em 1928 na obra “ Manual de Psicologia” de Edward B. Titchener, que o descreve como um lampejo que uma pessoa tem de uma situação ou objeto antes que o cérebro tenha terminado de construir uma percepção completa da situação ou do objeto.

Os neurocientistas o explicam como uma falha da memória, que confunde eventos recentes com fatos  que já aconteceram anteriormente. Sabe-se que a interação de alguns medicamentos podem despertar esta sensação e que não há nenhuma ligação entre o déjà vu e doenças psiquiátricas.

Cena do filme Matrix - déjà vu
Algumas pessoas entretanto, interpretam esta sensação como uma premonição ou como um aviso, algo paranormal, o que aumenta o desconforto causado pela incapacidade de se lembrar da situação completa, de montar o quadro.  Outro aspecto interessante do déjà vu é que ele geralmente acontece com coisas banais do dia a dia. Pessoas que geralmente adotam esta visão às vezes conectam o déjà vu com um lampejo de intuição, um flash ou a um sonho precognitivo (sobre algo que acontecerá no futuro). Aliás, estudos sobre sonhos precognitivos estão em alta ultimamente e alguns cientistas afirmam que os dois fenômenos  estão de fato relacionados. 

Seja qual for a interpretação que você dê, não deixa de ser um acontecimento singular e que apesar da curta duração nos faz pensar longamente sobre o assunto. Há várias teorias e vários estudos em andamento e por mais que o déjà vu já tenha sido explicado, mais curiosidade e dúvidas desperta. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: